A R T H U R  A R N O L D

Série Fogo, um desdobramento de Massas Humanas

"Por trás de uma fogueira o observador olha uma multidão. Nada nos indica em que época ele está. O que vemos poderia ser algum tipo de ritual ou simplesmente pessoas se aquecendo. Seus corpos emergem em tons avermelhados e alaranjados. É uma imagem ancestral, de seres, nós, que dificilmente sobreviveriam sozinhos na natureza. O fogo nos une e nos iguala.

Conhecemos o efeito mágico que ele exerce individualmente e a atração que gera nas massas, seja numa fogueira ou num incêndio. Como uma multidão, ele quer crescer e consumir com voracidade tudo o que encontra. Fala-se em alimentar e extinguir o fogo, como se ele fosse uma massa viva.

Em “Fogo”, o calor radiante e emanado se reflete em corpos reunidos em seu entorno. Desde seu domínio, ele nos acompanha e encontra na massa o seu espelho, sendo um símbolo da mesma. Como uma multidão, o fogo, tem a capacidade de construir ou de destruir, dependendo da forma como é manipulado."   Arthur Arnold

FOGO SEM TETO COM REF. HUMANA.jpg