M A R C E L A  G O N T I J O
Belo Horizonte - MG, 1966

marcela3.jpg

Suas pinturas  tem o diálogo com o espaço urbano através de  fragmentos fotográficos e da experimentação da colagem. Na busca por imagens, objetos, lugares e materiais  a artista desenvolve processos que instauram uma nova geometria.

 

O espaço funciona como uma grade, uma estrutura rizomática, onde as linhas não têm começo nem fim, e cada ponto pode ser conectado com qualquer outro. Linhas de um desenho que ultrapassa o limite da pintura para ocupar o espaço.

 

obras

 

exposições

sem titulo 8.jpg

novembro/2016

new
territories

Suas obras sofrem influência não apenas do ritmo transitório e acelerado das cidades mas também daquilo que as singulariza. Estão lá recortes de prédios e marcos da cidade, e as fitas que identificam os limites urbanos mas há uma outra camada além dessa.

Felipe Scovino, curador

Parque_Guinle.jpg

agosto/2010

outros possíveis
são possíveis

A obra de Marcela Gontijo nessa exposição o resultante de um paradoxo: parte de uma desconstrução para a criação de um acontecimento poético regido por uma alta potencialidade. No recorte e união de fragmentos de fotografias, a artista constrói uma nova paisagem.

Felipe Scovino, curador

 

vídeos