os sete mares
the 7 seas

sobre os 7 mares

about the 7 seas

“O Tinho é peça fundamental na história da arte urbana brasileira.”

Herbert Baglione

Tinho is a fundamental piece in the history of Brazilian urban art.”

“Nós conhecemos o Tinho em 1989 na zona norte, onde nós estávamos pintando um graffiti e ele chegou e se apresentou.  Informação naquele tempo era muito escassa, então com essa amizade trocamos o pouco que conhecimento que tínhamos na época. Desde então nos tornamos amigos e fomos dividindo informações, pintando juntos. Tinho sempre foi um visionário, um artista único, que retrata o cotidiano, sua vivência nas grandes cidades, questionando diferenças sociais, retratando e filtrando esse acúmulo de informações e diferenças que fazem parte de uma cidade fora do controle, como por exemplo São Paulo.”

OsGemeos

We met Tinho in 1989 in the northern area, where we were painting a graffiti and he arrived and introduced himself. Information at that time was very scarce, so with this friendship we exchanged the little knowledge we had at the time. Since then we became friends and we were sharing information, painting together. Tinho has always been a visionary, a unique artist who portrays daily life, his experience in big cities, questioning social differences, portraying and filtering this accumulation of information and differences that are part of a city out of control, such as São Paulo.”

“Tinho consegue ultrapassar os limites de sua origem pictórica no muralismo urbano contemporâneo para o universo da pluralidade dos suportes da pintura e do objeto. Sem perder o domínio harmônico da vibração cromática seduz e expressa sua origem sensível às questões sociais por meio de uma linguagem universal.  Sua obra, coerente com sua própria história, reúne ainda a simplicidade da expressão popular e a complexidade singular de uma ampla abordagem poética.”

Xico Chaves

Tinho can surpass the limits of his pictorial origin in contemporary urban muralism to the universe of the plurality of the supports of painting and object. Without losing the harmonic domain of chromatic vibration he seduces and expresses his sensitive origin to social issues through a universal language. His work, consistent with his own history, also brings together the simplicity of popular expression and the unique complexity of a broad poetic approach.”

“Conheci o Tinho pintando uma parede e a partir daí nunca mais deixamos de trocar ideia, nos ajudar e nos completar. Foram muitas histórias, experiências fantásticas e sou muito grato em ter feito parte da jornada desse artista e amigo que admiro até hoje.”

Binho

I met Tinho Painting a wall and from there we never stopped exchanging ideas, helping each other and completing ourselves. There were many stories, fantastic experiences and I am very grateful to have been part of the journey of this artist and friend I admire to this day.”

“As características do Tinho que eu mais gosto são autenticidade e poesia. Apesar dele ter vindo de uma transição de experiências ou mesmo de telas que são muito específicas como o Mar de discos, ou por mais que ele aborde qualquer tema desde os carros acidentados, que podem ser ou não herméticos, ele tem uma poesia que é universal. Um drama e uma poesia que atingem a todos. Isso é muito difícil de ser conseguido porque essa autenticidade vem da alma da pessoa, de saber o que quer, quem é, de estar bem consigo mesma, isso se reflete no trabalho dele.“

Speto

The characteristics of Tinho that I like most are authenticity and poetry. Although he has come from  a transition of experiences or even from canvases that are very specific like “Mar de discos”, or no matter how much he addresses anything from crashed cars, which may or may not be hermetic, he has a poetry that is universal. A drama and a poetry that reach all people; This is very difficult to achieve because this authenticity comes from the soul of the person, knowing what he wants, who he is, being well with himself, it reflects itself on his work.”

“Conheci o Tinho através do Binho logo que comecei a fazer graffiti e me identifiquei de cara com o que ele já fazia na época. Lembro que um dia o Binho me falou: “o Tinho é diferente, ele tem o mundo dele, está focado em produzir arte não só graffiti”, isso me aproximou mais das artes plásticas, mudou o rumo das minhas criações.”

Toz

I met Tinho through Binho as soon as I started to do graffiti and I immediately identified with what he was doing at the time. I remember one day Binho told me: “Tinho is different, he has his own world, he is focused on producing art not only graffiti”, this brought me closer to the fine arts, it changed the direction of my creations.”

“Sobre o Tinho só posso falar bem. Além de ter uma obra dele na minha coleção, com força de pintura pensada, participei a convite dele de um evento de pintura de rua onde aprendi muito e pude ver de perto a incrível aventura de pintar montado em guindastes e transformar o espaço urbano numa coisa, às vezes lúdica e às vezes grave, como um susto de ver imagens em lugares impensados. E como diz o poeta Manoel de Barros: “Imagens são palavras que nos faltaram."

Carlos Vergara

About Tinho I can only speak highly. In addition to having a painting by him in my collection, with thoughtful painting strength, I participated at his invitation at a street painting event where I learned a lot and could see closely the incredible adventure of painting mounted on cranes and turning urban space into something, sometimes playful and sometimes serious, like a fright to see images in unthinkable places. And as the poet Manoel de Barros says: ”Images are missing words.”

SOBRE OS 7 MARES

[ABOUT THE 7 SEAS]

 

Esta série é composta por 7 pinturas que retratam mares de objetos formadores do imaginário do artista. As referências incluem discos, filmes, livros, obras de artistas renomados, shapes de skate, brinquedos e moda. Os mares propostos por Tinho não são apenas externos, mas também internos. Fazem referência às suas vivências, aos seus repertórios imagéticos, lugares por onde ele navegou e navega até hoje. São mares de inspiração, seus próprios sopros. A série que para o artista é a realização de um sonho, se constitui como uma forma de agradecimento e homenagem a todos aqueles que alimentaram e continuam alimentando seu imaginário. É um olhar para trás, um olhar daquilo que o cerca diariamente, é síntese e eterna recorrência do seu repertório. É também o seu próprio fascínio diante de tais imagens. Os mares latentes em Tinho se apresentam aqui como um convite ao espectador para adentrar em seu universo de referências e entender como cada objeto influenciou sua formação pessoal e profissional.

Conhecer os 7 Mares é conhecer o seu mundo.

 

 

This series is made up of 7 paintings that portray an ocean of objects of the artist's poetic universe. The references include discs, films, books, famous artworks, skateboard shapes, toys and fashion. The oceans suggested by Tinho aren't only external, but also internal. They reference his livings, his image repertoires, the places where he navigated and continues to navigate. They are oceans of inspiration, his own blows. The series that, to the artist, is the realization of a dream, constitutes itself as an homage to everyone and everything that fed and continue to feed his development. It is a look at the past, an observance of what surrounds him on a daily basis. It is synthesis and the eternal reoccurrence of his repertoire. It is also his own fascination before those images. Tinho's latent oceans portray themselves here as an invitation for the spectator to walk into his world of references and understand how each object influenced his personal and professional journey.

To know the 7 Seas means to know his world.  

SERVIÇO

[SERVICE]

Abertura [Opening]: 28.11.19 - 18h30

Exposição [Exhibition]: 29.11.9 - 16.02.20

Paço Imperial - Salas Gomes Freire e 13 de Maio

FICHA TÉCNICA

[TECHNICAL FILE]

 

Realização [Realization]: Movimento Arte Contemporânea e Paço Imperial

Curadoria [Curated by]: Saulo di Tarso

Produção [Production]: Movimento Arte Contemporânea

Assessoria de imprensa [Press office]: Mônica Villela

Iluminação [Lighting]: Antônio Mendel

Designer gráfico [Graphic design]: André Arruda Fabro (Moiré Art)

Produção e edição audiovisual [Audiovisual production and editing]: Joana Kfuri e Marcos Salamonde

Câmera [Camera operator]: Marcos Salamonde

Fotógrafo [Photographer]: Bruno Ryfer

Transporte de obras [Artworks transportation]: Atlantis Fine Arts

Seguradora [Insurer]: Affinité

Revisão de texto [Text review]: Marcos Mauro Rodrigues

Tradução [Translation]: Samuel Graças

Impressão gráfica [Printing]: Ginga Design e Tesouro Laser

Banner [Banner]: Studio Alfa

Galeria Movimento Arte Contemporânea

Av. Atlântica, 4240 | 212-213 | 22070-002

Copacabana | Rio de Janeiro, RJ

Telefone 21 2267-5989

WhatsApp 21 97114-3641

contato@galeriamovimento.com

Horário

Terça a Sexta - 11h às 19h

Sábado - 12h às 18h

Redes Sociais

  • Facebook - Black Circle
  • YouTube - Black Circle
  • Instagram - Black Circle

© 2018 Galeria Movimento All rights reserved